Todos pela Educação fecha parceria com o IDEIA Big Data para retratar a situação educacional do País

  • Entender a situação da Educação no Brasil
  • 1ª Pesquisa: 1679 pessoas entrevistadas nas cinco regiões do Brasil
  • 2ª Pesquisa: 1515 pessoas entrevistadas nas cinco regiões do Brasil

Uma Educação melhor é o desejo de quase todos os brasileiros. Mas, com tantas dificuldades e peculiaridades de cada região do País, por onde começar? Foi com o objetivo de desvendar os problemas vivenciados pelos profissionais da Educação e alunos de todo o País e entender os anseios da população que o movimento Todos Pela Educação e o IDEIA Big Data fecharam uma parceria que visa acompanhar a evolução do tema. “Não há como avançar em políticas educacionais sem conhecer mais profundamente o que pensam as pessoas usuárias e os gestores públicos. A parceria com o IDEIA Big Data tem nos possibilitado entender os públicos para propor políticas educacionais que serão de fato avançadas e implementada”, destaca a fundadora e diretora executiva do Todos pela Educação, Priscila Cruz.

Para construir um retrato do que pensam os brasileiros, o IDEIA Big Data vem realizando uma série de pesquisas nacionais. “Os resultados das pesquisas demonstraram que sim, a Educação é considerada prioridade para os brasileiros. Perguntados sobre qual seria a principal medida caso fossem presidentes da República, 45,4% afirmaram que garantiriam uma educação de qualidade para todas as crianças e jovens”, ressalta o presidente do IDEIA Big Data, Maurício Moura. Se recebessem aumento, a maioria (32%) respondeu que investiria na sua educação ou na dos filhos; seguida por reforma da casa (20%), investimento na poupança (16,3%) e abertura de um negócio (12,5%).

Porém, a importância do tema não condiz com a qualidade desejada. 34,8% dos entrevistados avaliam a Educação Pública como ruim, 27,2% como péssima e só 6,5% como boa e 1,6% como ótima. A maioria (57%) ainda diz ter a percepção de que as escolas estão piorando, e só 11% afirmam sentir que o sistema está melhorando.

O estudo revelou também que há falta de conhecimento sobre a real situação da Educação do País. Cerca de 78% dos brasileiros não sabem que mais da metade das crianças de oito anos não conseguem ler adequadamente, por exemplo. O mesmo fenômeno aparece quando os brasileiros estimam o número de analfabetos adultos, o salário médio no magistério ou o percentual de professores com formação superior. A maioria das respostas indica uma percepção mais negativa do que a verificada pelos indicadores oficiais, e o pessimismo é maior entre os brasileiros das classes A e B, que frequentam menos a escola pública.

Entre as ações mais importantes para ajudar a melhora o ensino no Brasil, 21,6% apontam ampliar as escolas para tempo integral, 21,6% melhorar a gestão para que o investimento tenha mais resultado e 12,2% acredita que seja melhorar a formação dos professores.

Desde o início da parceria, firmada em janeiro de 2018, já foram entrevistadas mais de 3 mil pessoas.

 

Repercussão na Mídia

Category

Pesquisa

Tags

Opinião Pública

Date published

10 de maio de 2018