Banco Interamericano de Desenvolvimento – BID

BID contrata o IDEIA Big Data para conhecer o estilo de vida e hábitos de consumo dos afro-brasileiros

Compreender os padrões de consumo atuais e tendências do segmento afro-brasileiro era o grande desafio que o Banco Interamericano de Desenvolvimento – BID tinha pela frente, e para ajudar nessa empreitada, a empresa procurou os serviços de pesquisa e consultoria do IDEIA Big Data. “O cliente queria conhecer a fundo essa população, suas demandas, preferências, atributos e valores, além de consolidar percepções sobre seu potencial como nicho consumidor”, destaca o presidente do IDEIA, Maurício Moura.

O estudo foi dividido em três etapas, sendo duas delas voltadas a pesquisas qualitativas e uma quantitativa. Segundo Maurício, o primeiro passo foi a realização de entrevistas em profundidade com especialistas no assunto.”Durante a etapa preparatória, compilamos uma lista de estudiosos a serem contatados. Após aprovação dos nomes, as conversas foram agendadas conforme conveniência do entrevistado”, explica.

Depois, o IDEIA Big Data passou para a segunda etapa do projeto, com a formação de grupos de discussão com o público-alvo. “Esse momento foi essencial para entender o estilo de vida, valores e objetivos deles, além de analisar se e como o sentimento de pertencimento à raça e à cultura negra permeia hábitos e valores deste grupo”, ressalta Moura. Nesta fase, foram realizadas 14 reuniões, em duas cidades diferentes, com oito participantes cada.

Na última etapa, mais de 2 mil pessoas de todas as regiões e estados do País participaram de pesquisa quantitativa realizada presencialmente pela equipe do IDEIA. “Foram mais de 35 cidades visitadas em pouco mais de dois meses para que pudéssemos realizar todas essas entrevistas no modelo porta a porta”, conta.

O IDEIA Big Data desenvolveu o desenho da pesquisa, o seu gerenciamento e operacionalização, além da análise qualitativa do projeto. “Todas essas etapas foram importantes para que pudéssemos entender a fundo os hábitos de consumo e gestão orçamentária dos afro-brasileiros e também verificar a existência de discriminação racial, tanto na relação de consumo quanto nas outras esferas da vida social”, conclui Maurício.

Category

Pesquisa

Tags

Opinião Pública

Date published

21 de março de 2018