BID contrata IDEIA Big Data para avaliação de impacto em município no Paraná

Resumo

  • Encontrar moradores de Paranaguá há mais de seis anos com amostra representativa do perfil demográfico do município;
  • 330 moradores localizados no perfil;
  • Análise de impacto retratada de forma fidedigna.

O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e a Prefeitura de Paranaguá assinaram, em 2012, contrato para implantação do Programa Integrado de Desenvolvimento Social e Urbano, com objetivo principal de promover o desenvolvimento social e melhorar a distribuição de renda no município paranaense. Para isso, o projeto recebeu o investimento de US$ 37 milhões, sendo US$ 16,65 milhões em recursos do Banco e US$ 20,35 milhões de contrapartida da Prefeitura.

A iniciativa conjunta faz parte do programa Procidades, criado pelo BID, cujo mecanismo de crédito financia projetos de desenvolvimento urbano integrado em parceria com as prefeituras e o Governo Federal com o propósito de aumentar a eficiência e a oferta de serviços públicos. Por conta disso, ao fim de cada projeto, o BID tem como missão analisar se o objetivo de melhorar a qualidade de vida da população foi atendido. E foi com o desafio de verificar a percepção da população sobre os investimentos realizados que o BID recorreu aos serviços de pesquisa do IDEIA Big Data. “O objetivo do estudo foi entender o quanto e em quais áreas a população percebia melhora quando comparado ao período anterior à parceria. Executar trabalhos de avaliação de impacto como esse tem grande relevância para que os recursos públicos sejam melhor alocados. É fundamental saber o que e como melhora a vida dos cidadãos”, explica o presidente do IDEIA Big Data, Maurício Moura.

Para captar a real percepção dos moradores, o IDEIA Big Data precisava entrevistar moradores de Paranaguá desde antes de 2012. “Misturamos a tecnologia do nosso Big Data, com pesquisa via painel digital e também presenciais para localizar 330 moradores que moravam há mais de seis anos no município e que também preenchessem os requisitos de sexo, faixa etária e bairro de residência definidos na amostra”, explica.

Depois de definidos os respondentes, a pesquisa passou para a fase das entrevistas propriamente ditas. “O questionário foi estruturado para que os respondentes comprassem diversos aspectos do seu dia a dia atual com o de cinco anos atrás sobre a cidade e o bairro”, conta Maurício.

Para entrar no detalhamento da opinião dos respondentes, foram elaboradas questões mais gerais, como grau de felicidade, e mais específicas sobre temas como economia, serviços públicos e mobilidade, como tempo de deslocamento residência/centro da cidade e segurança no trânsito. “Sempre que os respondentes afirmaram que houve melhora em determinada área ou serviço, eram direcionados a uma pergunta aberta para que pudessem apontar o que os fez perceber essa melhora, se a reforma de uma praça, a construção de uma escola ou de um novo posto de saúde”, exemplifica.

Como os respondentes estavam também identificados por bairros, foi possível aferir a informação de forma segmentada, além de comparar quais ações tiveram impactos locais e quais ações trouxeram repercussões mais amplas para a cidade. “Conseguimos entender como a população percebeu/sentiu as mudanças na cidade e nos bairros e aferir se o dinheiro aplicado em Paranaguá realmente causou impacto na vida das pessoas e em quais áreas foram mais relevantes”, conclui Maurício.  

Category

Pesquisa

Tags

Opinião Pública

Date published

17 de setembro de 2018