Universidade George Washington anuncia bolsa na área de Gestão Política para estudantes que dominem a língua portuguesa

A Escola de Pós-Graduação em Gestão Política da Universidade George Washington (GSPM) anunciou uma bolsa de mestrado para alunos interessados em aprofundar conhecimento na área de Gestão Política e que tenham o Português como língua nativa. A iniciativa é uma parceria com o presidente do IDEIA Big Data, Maurício Moura, que é ex-aluno da GSPM e atualmente atua na Instituição como professor adjunto. “Somos profundamente gratos ao Dr. Moura por seu generoso presente. Estamos empolgados com a oportunidade que essa bolsa de estudos nos oferece de atrair mais estudantes de países de língua portuguesa para nossos programas e também por ajudar um aluno que, de outra forma, não seria capaz de participar da GW. Dr. Moura é um verdadeiro modelo para todos os nossos alunos ”, afirma a Dra. Lara Brown, diretora da GSPM. As inscrições vão até o dia 1º de maio de 2019.

A bolsa cobrirá os custos totais do curso para o programa de mestrado de 36 horas, com duração de quatro períodos. Para isso, o aluno deve se matricular em pelo menos três aulas por semestre. “Minha experiência pessoal na GSPM foi verdadeiramente transformadora e estou muito animado em poder proporcionar essa experiência a outro aluno. Além disso, acredito firmemente que esta oportunidade não apenas disseminará conhecimento e expertise em diferentes regiões, mas também ajudará a fortalecer os laços entre a Universidade e os países de língua portuguesa”, conta Maurício.

Maurício Moura, que recentemente foi nomeado pela Washington Compol Magazine como um dos 100 profissionais da área política mais influentes de 2018, tem uma longa ligação com a GSPM. Iniciou como aluno do mestrado em Gestão Política e atualmente atua como professor adjunto e também como membro do Conselho de Administração da Instituição. “A escola é grata por seu apoio contínuo e espera poder contar com ele nos próximos anos”, conclui Brown. Para mais informações, acesse: https://gspm.gwu.edu/gw-graduate-school-political-management-announces-new-scholarship-portuguese-speakers.

Principais Requisitos:

  • Formulário de inscrição online preenchido para o programa de Gestão Política;
  • Declaração: ensaio de 250 a 500 palavras descrevendo seus objetivos acadêmicos e profissionais;
  • Currículo atualizado;
  • Três cartas de recomendação (pelo menos uma profissional e uma acadêmica);

* Candidatos Internacionais: Os resultados oficiais do Teste de Inglês como Língua Estrangeira (TOEFL) são necessários para estudantes que são de países onde o inglês não é uma língua oficial. O Teste de Inglês Escrito (TWE) também é recomendado.

Confira a lista de requisitos completa: https://gspm.online.gwu.edu/admission-requirements.

Maurício Moura é o único brasileiro a figurar entre os 100 mais influentes de 2018

Realizado pela renomada revista Washignton Compol, o ranking destaca os 100 profissionais de política mais influentes do ano

 

O presidente do IDEIA Big Data, Maurício Moura, foi escolhido pela revista americana Washignton Compol para integrar a seleta lista com os 100 profissionais de política que mais se destacaram em 2018. Maurício foi o único brasileiro a receber a honraria, que selecionou líderes inovadores que alcançaram méritos e legados inesquecíveis. “Nossa seleção incluiu nomes cujos sucessos foram alcançados, apesar de serem considerados desafios insuperáveis”, destaca a descrição da premiação.

Para o presidente do IDEIA Big Data, essa indicação é mais um incentivo para seguir com o trabalho que vem realizando há mais de 10 anos na área. “Fiquei surpreso com a indicação. Ali tem muitos profissionais que admiro muito e me espelho fortemente. Também fico feliz que o trabalho do IDEIA Big Data tenha, mais uma vez, impacto internacional. Isso nos motiva ainda mais para seguir trabalhando e inovando nas análises e tecnologias”, afirma.

A cerimônia de premiação acontece nesta terça-feira (14/08), durante o almoço do The Napolitan Victory Awards 2018, que será realizado na Georgetown University, em Washington DC.

Para mais informações, clique aqui!

Pesquisa de intenção de voto do IDEIA Big Data ganha capa da Veja

A última pesquisa de intenção de voto nacional realizada pelo IDEIA Big Data ganhou edição especial na revista Veja que acaba de chegar às bancas. Além da capa da publicação, foram 10 páginas de matérias dedicadas aos resultados, que revelou, entre outros dados, o crescimento do candidato Jair Bolsonaro na pesquisa espontânea – quando nenhum nome é apresentado ao entrevistado.

Apenas dois candidatos mostraram presença substancial na cabeça do eleitorado: Lula, com 17%, e Bolsonaro, com 14%. Ainda na espontânea, 43% são eleitores indecisos e 21% pretendem votar em branco ou nulo.

Nos cenários estimulados, em que os nomes são disponibilizados para o entrevistado, Bolsonaro lidera em todos, com exceção do cenário com o ex-presidente Lula, em que fica com 17% contra 19% do petista que, tudo indica, será impedido de sair candidato pela Lei da Ficha Limpa.

A cobertura da Veja destacou ainda a diferença entre o percentual de votos masculinos e femininos nos candidatos Jair Bolsonaro e Marina Silva. Enquanto 27% de eleitores do Bolsonaro são homens,  apenas 12% são mulheres. Já a Marina tem melhor performance entre as mulheres: 12%, sendo 7% entre os homens.

Outro ponto que ganhou atenção da publicação é que um candidato indicado por Lula já inicia a disputa com 9% da intenção de votos, um percentual considerado competitivo para esta etapa do processo. Com relação à rejeição, o IDEIA Big Data quis saber: Em qual candidato você não votaria de jeito nenhum?” Lula também lidera esse ranking, com 31%, contra 29% do Bolsonaro.

O avanço do Bolsonaro ainda é notado em praticamente todos os cenários do segundo turno, mais uma vez, com exceção daquele em que é confrontado com Lula. Bolsonaro empata, dentro da margem de erro de 2 pontos para cima ou para baixo, com todos os candidatos, revelando uma melhora do seu desempenho se comparado com pesquisas anteriores de outros institutos com metodologias similares.

O IDEIA Big Data entrevistou presencialmente 2036 eleitores das cinco regiões do País entre os dias 20 e 23 de julho. Para conferir a publicação da revista Veja, acesse o site: https://veja.abril.com.br/revista-veja/a-ameaca-e-real/ ou confira a publicação na nossa página no Facebook.

Madrugada é considerado o melhor horário para compra na Black Friday Brasil

93% dos entrevistados entrou ou pretendia entrar em algum site participante da Black Friday durante a madrugada da quinta para sexta-feira

 

A Black Friday, promoção consagrada nos Estados Unidos por conceder grandes descontos na última sexta-feira de novembro, também já conquistou seu público fiel aqui no Brasil. Uma pesquisa realizada pelo IDEIA Big Data mostrou que 79% dos entrevistados pretendiam aproveitar a Black Friday para comprar algum produto ou serviço, muitos deles (47%), para adiantar algumas compras de Natal. A grande maioria (80%), participou de edições anteriores. “Em 2016, esse número era de 71%, o que mostra que as pessoas estão colocando o Black Friday no seu calendário de compras e, mais do que isso, aprendendo a desconfiar de falsos descontos e obtendo os melhores preços”, destaca o CEO do IDEIA Big Data, Maurício Moura.

89% das pessoas afirmaram que já tinham pesquisado os preços do produtos específicos que pretendiam comprar antes da Black Friday e 82% delas fizeram uma pesquisa ampla, em diferentes meios. Os canais mais usados para pesquisar os preços para a Black Friday foram: Lojas online (para 82% das pessoas), sites de marcas específicas (48%) e sites para comparação de preços.

Já durante a Black Friday, as pessoas assinalaram, em média, dois meios em que pretendiam buscar produtos. Entre os mais citados, apareceram as lojas online (71%), as lojas físicas (44%) e, para 34%, os sites com promoções de várias marcas e produtos dispostos para a comparação.

Um ponto que chama atenção na pesquisa é o horário preferido para compras: a madrugada. 93% dos entrevistados entrou ou pretendia entrar em algum site participante da Black Friday durante a madrugada da quinta para sexta-feira. O principal motivo é porque acreditam (32%) que há uma maior disponibilidade de produtos e por achar os preços mais convidativos neste horário (29%).

 Com relação a categoria dos produtos, tivemos uma mudança nos TOP 5 em comparação ao ano anterior. Celulares e tablets continuaram em primeiro lugar (36%) e os eletrodomésticos em segundo, com 28%. No entanto, em 2016, informática ocupava a terceira colocação com 24%, mas foi substituída esse ano pela categoria beleza e saúde (25%). Moda e acessórios manteve a quarta colocação (24%) e informática caiu para quinto na classificação (22%). Em 2016, essa posição era ocupada pelos eletro portáteis.

Os sites que as pessoas mais acessaram ou pretendiam acessar, são: Americanas (70%), Magazine Luiza (50%), Submarino (43%), Mercado Livre (37%) e Netshoes (35%). Já a média de compra se dividiu de forma praticamente igualitária para 72% da amostra: 18% gastou ou pretendia gastar entre R$101,00 e R$ 300,00; 17% entre R$301,00 e R$500,00; 21% entre R$501,00 e R$1000,00; e 17% entre R$1.001,00 e R$2.000,00. A variação do ticket médio de 2016 para 2017 aumentou 3,6%, saindo de R$ 750,64 para R$ 777,65.

Do total de entrevistados, 40% de fato chegou a finalizar as compras. Desse percentual, 67% não teve surpresas ao concluir o processo e afirmou que tudo ocorreu como previsto. Para 22% das pessoas que concluíram a compra, a surpresa indesejada foi em relação ao frete, considerado “muito caro”.

Segundo 53%, a edição 2017 da Black Friday não foi melhor, nem pior do que a anterior, mas os preços estavam mais baixos do que o período antes da promoção (57%).

A pesquisa foi realizada entre a madrugada do dia 23 para o dia 24 de novembro com 1907 pessoas de todo o Brasil, sendo: 55% moradores do Sudeste; 21% do Nordeste; 13% da região Sul; 7% do centro-oeste e 4% do Norte. A grande maioria pertence à classe social B (55%), seguidas pela classe A (28%) e classe C (20%). 30% tinham entre 18 e 24 anos e 24% mais de 35 anos. A divisão por sexo se deu 53% feminino e 47% masculino.

Filipe Siqueira conquista etapa regional do INOVA Talentos

Funcionário do IDEIA Big Data, Filipe Siqueira, conquistou a etapa regional da premiação INOVA Talentos, programa idealizado pela Confederação Nacional das Indústrias – CNI para facilitar o acesso de estudantes ao mercado da inovação. “Trabalhar no IDEIA me fortaleceu muito como profissional, abriu horizontes jamais pensados. Desenvolver produtos relacionados à inovação é muito gratificante e desafiador. Dedico essa premiação a toda a equipe por todo apoio, tanto como profissional, como pessoal. O prêmio é de todos nós”, comemora o desenvolvedor do IDEIA, Filipe Siqueira. O anúncio foi feito ontem, em cerimônia realizada no auditório da Federação das Indústrias do Distrito Federal – Fibra, em Brasília.

De acordo com o diretor de Tecnologia do IDEIA Big Data e tutor do bolsista, Thiago da Mata, o Filipe se tornou uma peça chave dentro da empresa. “O Filipe contribui na parte de desenvolvimento, pesquisa e inovação de novas funcionalidades, de novos métodos e de performance e hoje é essencial para o nosso time. Ele se integrou muito bem à equipe e mantém um ritmo de aprendizado alto. Fomos surpreendidos pela ascensão rápida dele. Ele mereceu esse prêmio por ter conseguido superar e muito os desafios impostos de trabalhar com big data e tecnologia de ponta”, afirma.

O Filipe Siqueira conquistou o prêmio Inova Talentos na categoria Trabalho em Equipe e agora segue para disputar a etapa nacional, cujo resultado será divulgado no final de outubro.

Realizado pelo IEL, em parceria com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), o INOVA Talentos estimula a indústria brasileira a manter-se competitiva, por meio do desenvolvimento de projetos de inovação e tecnologia. Para saber mais, acesse o site do IEL.

IDEIA Big Data abre 33 vagas para profissionais de comunicação em 11 capitais do Brasil

As vagas são para as cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Belo Horizonte, Porto Alegre, Curitiba, Florianópolis, Recife, Salvador, Cuiabá e Goiânia

O IDEIA Big Data está recrutando profissionais da área de comunicação para as vagas de analista de Monitoramento, de Social Media e coordenador de projetos. As oportunidades são para as cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Belo Horizonte, Porto Alegre, Curitiba, Florianópolis, Recife, Salvador, Cuiabá e Goiânia. Para participar, o candidato deve encaminhar o currículo para: [email protected], com a função e a cidade para qual quer concorrer no assunto do e-mail. A data para inscrição encerra no dia 31 de agosto e o processo seletivo ocorrerá em setembro. Confira abaixo as atividades e exigências de cada vaga:

Analista de Monitoramento

Atividades:

  • Gerenciamento de apps, softwares, plataformas e ferramentas de análise de dados e ambiente digital;
  • Conhecimento de ferramentas de publicação;
  • Monitoramento de redes;
  • Análise de dados, cenário, perfis;
  • Benchmark;
  • BI;
  • Web Analytics.

Requisitos Mínimos:

  • Cursando Comunicação, Jornalismo, Publicidade, TI, Ciência da Informação/Programação, Estatística;
  • Experiência de dois anos na função;
  • Conhecimento de produção de ferramentas de publicação, apps e softwares de monitoramento, análise de dados, criação de relatório, benchmarking, e disponibilidade para aprender;
  • Conhecimento de Facebook Business, Google Analytics e ferramentas de Web Analytics;
  • Confiável, bem informado, conciso e rápido;
  • Conhecimento avançado de inglês.

 

Analista de Mídias Sociais 

Atividades:

  • Relacionamento digital em múltiplas plataformas;
  • Produção de conteúdo para redes sociais;
  • Análise de conteúdo e dados;
  • Atendimento inbox em múltiplas plataformas;
  • Conhecimento de análise de dados de ferramentas.

Requisitos Mínimos:

  • Escolaridade – Cursando Comunicação, Jornalismo, RP, Publicidade ou Programação;
  • Experiência de um ano na função;
  • Boa redação;
  • Conhecimento de produção de conteúdo para web, relacionamento em ambiente digital, monitoramento e criação de relatório, benchmarking, análise de dados de ferramentas (FB, Twt, YB, Instagram e Linkedin) e disponibilidade para aprender;
  • Conhecimento de Facebook Business e Google Analytics;
  • Comunicativo, Ágil e Adaptável;
  • Língua conhecimento intermediário de inglês.

 

Coordenador de Projetos 

Atividades:

  • Gerenciamento de pessoas, cargos, entregas e demandas;
  • Conhecimento de apps, softwares, plataformas e ferramentas de análise de dados e ambiente digital;
  • Conhecimento de ferramentas de publicação;
  • Storytelling;
  • Monitoramento de redes;
  • Organização de dados e informações;
  • Gestão financeira.

Requisitos Mínimos:

  • Ensino superior completo em Administração, RP, Estatística, Comunicação, Jornalismo, Publicidade ou Programação;
  • Experiência mínima de sete anos em função de gestão;
  • Ter participado de projetos voltados para produção de conteúdo para web, relacionamento em ambiente digital, monitoramento e criação de relatório, benchmarking, análise de dados de ferramentas (FB, Twt, YB, Instagram e Linkedin),  e criação de conteúdo;
  • Conhecimento de Facebook Business, Google Analytics, Google Drive e ferramentas de gerenciamento de conteúdo;
  • Disponível, confiável, discreto e adaptável.

Pesquisa do IDEIA que aponta desejo por mudanças na esfera política foi pauta na Globo News

A pesquisa que realizamos para o movimento Agora!, que apontou o desejo dos brasileiros por mudanças nas próximas eleições, ganhou grande repercussão na mídia brasileira. No último dia 04 de agosto, foi a vez do programa Estúdio i, da Globo News, trazer o estudo para debate. Uma das coordenadoras do Movimento AgoraIlona Szabó de Carvalho, comentou a pesquisa. Clique na imagem abaixo e assista ao vídeo!

 

92% não confiam na capacidade de Temer em conduzir reformas

Pesquisa realizada pelo Ideia Big Data foi veiculada no jornal Valor Econômico

Pesquisa realizada pelo Ideia Big Data entre os dias 22 e 26 de maio mostrou que 92% dos entrevistados não confiam na capacidade do presidente Michel Temer em conduzir as reformas da Previdência e Trabalhista.

A pesquisa verificou ainda que a maioria (58%) se opõe à reforma da Previdência. Para o presidente do Ideia Big Data, Maurício Moura, muitas pessoas até admitem o problema econômico, mas não se solidarizam a ponto de aprovar a reforma. “Os defensores sustentam que ela tem que ser aprovada, senão o país irá quebrar. Mas, para uma grande parte da população, o discurso foi o de que as pessoas teriam que se sacrificar porque a classe política quebrou o país”, avalia.

Já com relação à reforma Trabalhista a posição é diferente: 63% acham que ela deveria continuar. Um dado que talvez corrobore para esse posicionamento é o fato da maioria acreditar que dar maior flexibilidade às relações de trabalho ajudaria na criação de empregos (57%).

Mas para os entrevistados, mais importante do que qualquer reforma está o combate à corrupção. 66% entendem que resolver o problema de corrupção no Brasil é mais importante do que melhorar as condições da economia.

A pesquisa foi realizada com pouco mais de 5 mil pessoas em 69 cidades diferentes. Os dados dos estudo serviram de base para matéria publicada no último dia 31 de maio no jornal Valor Econômico. Clique aqui para acessar a matéria.

Como a Lava Jato tem influenciado a comunicação de compliance das empresas?

Com os cada vez mais frequentes escândalos envolvendo empresas e governo, a preocupação com a comunicação das regras de compliance das empresas, tanto para os funcionários quanto para o público em geral, tem despertado atenção especial das organizações.

Uma pesquisa realizada pelo Ideia Big Data e a agência de comunicação CDN mostrou que 85% dos entrevistados acreditam que as operações de combate à corrupção colocaram pressão nas companhias para comunicarem suas políticas relacionadas ao tema. E mais: 83% concordam que as companhias só se empenham em passar o conteúdo das políticas de compliance durante momentos de crise.

Os entrevistados apontaram que os gastos com compliance nos departamentos de comunicação aumentaram nos últimos dois anos, mas que representam menos de 10% dos desembolsos totais da área. “Há a compreensão pelos executivos de que é uma comunicação básica, de apenas publicar o código de ética no site. Eles acreditam que existe uma oportunidade muito grande para melhora”, explica o presidente do Ideia Big Data, Maurício Moura.

A pesquisa foi realizada com 94 executivos de diversos setores da economia e serviu de base para a matéria publicada pelo jornal Valor Econômico no último dia 24 de maio. Clique aqui para acessar a matéria.

74% dos brasileiros são contra indenizar famílias de presos mortos em rebeliões

Dado foi apresentado pelo Ideia Big Data após pesquisa de alcance nacional com aproximadamente 5 mil pessoas

A opinião dos brasileiros sobre o problema carcerário no Brasil foi tema da pesquisa realizada pelo Ideia Big Data durante o mês de março, no qual mais de 5 mil pessoas de 33 cidades do País foram entrevistadas. O estudo foi apresentado em primeira mão pelo jornal Estadão e foi pauta do Brazil Conference 2017, realizado em Cambridge, nos Estados Unidos, no último dia 08. A pesquisa foi apresentada em um painel com as presenças do Ministro do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes, do Defensor Geral do Estado do Amazonas, Rafael Barbosa, e de Rafael Custodio, da Conecta Direitos Humanos.

O estudo mostra que a grande maioria (73%) acredita que a questão dos presídios é uma responsabilidade compartilhada entre os governos Federal, Estadual e do Judiciário e não tem muita confiança de que a situação deva melhorar nos próximos anos. Para 42%, os casos de rebeliões e mortes nos presídios do País devem crescer.

Indagados se a superlotação é causada pela lentidão da Justiça, que mantém muita gente presa aguardando julgamento, os entrevistados se dividiram: 41% concordam, 24% discordam e 35% não quiseram opinar. A amostra também demonstra que 53% dos participantes não acredita que construir mais presídios resolveria o problema da superlotação, enquanto apenas 18% concordam.

Outro ponto que rachou opiniões é sobre o bordão “bandido bom é bandido morto”: 48% concorda e 46% discorda. “A pesquisa mostra o quanto o tema é espinhoso para a sociedade brasileira e demonstra o quanto o esse discurso tem ressonância em parte do eleitorado”, destaca o presidente do Ideia Big Data, Maurício Moura.

A pesquisa mostra ainda que a população está bastante dividida se a privatização da gestão dos presídios seria uma boa alternativa: 35% discordam, 29% concordam e 36% não souberam responder. Ao mesmo tempo, 88% acreditam que “mais educação e trabalho dentro do sistema prisional são essenciais para melhorar a situação dos presos”.

Outro aspecto que chamou a atenção no estudo é o quanto à população não enxerga com bons olhos o gasto com detentos. Mínimos 12% dos entrevistados consideram válida a hipótese de indenizar as famílias de presos mortos em rebeliões, contra 74% que são contra. Para 56%, “o preso não deve ser prioridade para gasto do dinheiro público”.   “Diante de tantos problemas em diversas áreas, fica claro que o  público rejeita a hipótese de que esse é um tema prioritário”, conclui Maurício.