Netflix é responsável por 34% dos cancelamentos de assinatura de TV paga

Através da sua ferramenta de pesquisa via mobile e web, PiniOn, o IDEIA Big Data entrevistou mil pessoas de todo o Brasil, entre os dias 23 e 25 de outubro

 

O que as pessoas mais assistem no Netflix? Quais os hábitos dos telespectadores? Qual a sua real interferência nas assinaturas de TV pagas? Para desvendar essas questões e conhecer o comportamento da população com relação ao Netflix, o IDEIA Big Data realizou uma pesquisa com mil jovens e adultos de todo o Brasil, entre os dias 23 e 25 de outubro.

A grande maioria dos entrevistados possui, além do Netflix, assinatura de TV paga (76%), e 59% delas pretendem continuar assinando ambos os serviços. No entanto, chama atenção que entre os 24% que não têm TV paga, 34% cancelou o serviço após ter assinado o Netflix. Além disso, 10% pretendem cancelar a assinatura da TV paga para contratar o Netflix. “Os números trazem um elemento adicional que corrobora a hipótese do potencial revolucionário de tecnologias como a da Netflix. O futuro passa menos pelo cabo e mais pelo streaming”, avalia o presidente do IDEIA Big Data, Maurício Moura. Outros 16% declararam ter cancelado a TV paga devido à mensalidade ter ficado maior do que poderiam pagar.

Do total de respondentes, 59% são assinantes do Netflix, 24% moram com alguém que assina e deixa o login disponível e 16% usam o login de alguma pessoa que não mora com ela, mas empresta o acesso. A maioria assiste Netflix acompanhado (71%), e destas pessoas, 41% assistem com o namorado(a) e 36% com o companheiro(a).

40% dos respondentes assistem ao Netflix todos os dias e 30% entre uma e três vezes na semana. Quando questionados se assistem mais durante a semana ou aos finais de semana, 55% afirmam que “não há regras” para o uso e 35% assistem mais aos finais de semana.
O período do dia em que mais pessoas assistem é à noite (78%). Só 13% dizem assistir mais durante à tarde.

Buscar o conteúdo pela categoria é como 38% escolhem ao que assistir, mas 34% afirmam ser direcionados pelas recomendações do Netflix. Já 19% definem a programação antes de acessar e buscam diretamente pelo nome do filme. Com relação ao tipo de programa, a procura por séries leva grande vantagem sobre os filmes. Enquanto 70% assistem mais séries, só 25% veem filmes com maior frequência. As categorias que as pessoas mais gostam de assistir são: Ação e aventura (70%), comédias (69%), Suspense (53%) e ficção científica (47%).

Quanto à última vez que em que assistiram Netflix, 43% informou ter visto no dia anterior da missão, 21% na última semana e 20% no mesmo dia da missão. 92% das pessoas lembravam o que assistiram, com uma variedade bem elevada na resposta espontânea: a série “Suits” foi a mais mencionada, com 5%, e Narcos, com 4%.

A pesquisa foi realizada com um público que já havia assistido algo na Netflix pelo menos uma vez. A amostra ficou equilibrada em relação ao gênero (48% feminino e 52% masculino), com maior concentração entre pessoas de 25 a 34 anos de idade (48%) e pertencentes à classe B (53%).

67% dos fumantes já tentaram largar o cigarro

Para conhecer os hábitos dos fumantes, o IDEIA Big Data realizou uma pesquisa com mil usuários de cigarros de todo o País, entre os dias 10 e 12 de outubro

 

81% das pessoas gostariam de parar de fumar e 67% delas já tentaram largar o vício, sem sucesso. Esses dados foram revelados em pesquisa realizada pelo IDEIA Big Data, entre os dias 10 e 12 de outubro, com mil usuários de cigarros de todo o País. “A pesquisa mostra que a qualidade de vida e preocupação com a saúde são cada vez mais relevantes nas decisões. Isso potencializa ainda mais o drama da luta para deixar de fumar”, destaca o presidente do IDEIA Big Data, Maurício Moura.

De acordo com a pesquisa, o principal motivo para as pessoas tentarem parar de fumar é a preocupação com a saúde (74%), mas não conseguiram atingir o objetivo por ansiedade (17%) e uma vontade incontrolável de fumar (16%).

A Lei Antifumo 12.546/2011, que proíbe fumar em lugares parcialmente fechados, é aprovada por 73% da amostra, sendo que 60% acreditam que o governo deveria fazer mais para combater os danos causados pelo tabagismo, incluindo ações para ajudar a deixar o vício. 57% concordam que se sentem julgados ao acender um cigarro na frente de outras pessoas, mesmo quando elas não são conhecidas.

Com relação à quantidade, 58% fumam entre 1 a 4 maços por semana, e primeiro cigarro do dia é fumado assim que acorda (29%) ou uma hora depois (28%). À noite é o período em que a maioria (54%) fuma com maior frequência, sendo a bebida alcóolica apontada como o principal motivo para despertar a vontade de acender o cigarro (24%), seguida pelo nervosismo/estresse (15%) e o momento antes, durante e após refeições (14%). Além disso, 60% das pessoas fumam mais quando estão sozinhas.

Chama atenção o fato de 65% gostarem de beber algo enquanto fumam: 84% consomem cerveja, 48% café, 37% vinhos e 36% vodca. Ou seja, o consumo de bebidas alcóolicas está bastante ligada ao acender do cigarro.

A principal razão que levou os fumantes a experimentarem o fumo foi a curiosidade (35%), mas 26% creditam a influência de amigos e familiares como o maior motivador. A maioria dos fumantes (58%) não pratica esporte (mais de 3 vezes por semana por pelos menos 30 minutos) e costuma comprar cigarros em lojas de conveniência (37%) e em padarias (25%).

Na escolha do cigarro, o atributo mais importante é a marca (53%), ou seja, ser de um fabricante conhecido. Já 19% definem pela variedade de sabores. Marlboro (40%), Dunhill Carlton (17%) e Lucky Strike (11%) são consideradas as melhores marcas, e também são as mais consumidas: Marlboro (35%), Dunhill Carlton (14%) e Lucky Strike (10%). Os cigarros sem sabor são preferidos por 56% dos entrevistados, contra 29% que preferem com e 15% que gostam de ambas opções.

Outro ponto que merece destaque é que 41% da amostra afirma que sempre joga a bituca no lixo, “mesmo que tenha que carregá-la até encontrar uma lixeira ou um cinzeiro”, mas 34% confessam que, às vezes, jogam a bituca do cigarro no chão.

Realizada pelo IDEIA Big Data, a pesquisa teve como objetivo conhecer os hábitos dos fumantes. Para isso, foram ouvidos mil consumidores de cigarro por meio da plataforma própria de pesquisa via mobile e web, PiniOn, que conta com mais de 680 mil usuários ativos em todo o País. O estudo foi realizado entre os dias 10 e 12 de outubro.

 

Perfil dos Entrevistados:
A amostra está levemente mais concentrada entre os homens (56%), quando comparados às mulheres (44%). Em relação à idade, são principalmente pessoas de 25 a 34 anos de idade (51%). 29% têm mais de 35 anos e 20% apresentam idades entre 18 e 24 anos. 24% começaram a fumar no período de 5 a 9 anos atrás (24%), 22% de 1 a 4 anos e 22% de 10 a 14 anos.

Os respondentes estão distribuídos geograficamente do seguinte modo: 57% no Sudeste, 18% Nordeste, 14% no Sul, 7% no Centro-oeste e 4% no Norte. E mais concentrados na classe B (48%). 38% na classe A e 13% na classe C.

Pouca confiança na economia e elevada descrença na política é percepção dos principais empresários e líderes brasileiros

A fim de fortalecer o mercado por meio da reunião dos grandes líderes brasileiros e uma análise sempre atualizada da situação econômica e política do País, o IDEIA Big Data lançou o OPINA Brasil, painel eletrônico respondido por grandes empresários e líderes sobre como enxergam o cenário atual e os próximos meses. Implantado por meio do PiniOn, a pesquisa será realizada a cada dois meses.

Na edição de estreia, realizada este mês, chamou atenção a falta de esperança na economia. Quase metade dos entrevistados se declararam neutros (48%), e aqueles mais pessimistas (37%) estão em maior número do que os otimistas (15%). E se agora já está ruim, para quase metade dos respondentes (49%) a situação tende a piorar nos próximos 6 meses. Só 8% vislumbram uma melhora.

Quando falamos sobre a política, a situação fica ainda pior. A sensação de desconfiança com relação aos políticos é perceptível, com 84% relatando sentimento negativo, contra irrisórios 3% que se dizem otimistas. No entanto, ao serem questionados sobre a expectativa com relação à política brasileira também daqui a seis meses, há mais esperançosos (22%) do que pessimistas (17%), mas o sentimento mais forte ainda é o de incerteza e imprecisão sobre o futuro (61%).

Ao analisar especificamente o mercado em que atuam, o empresariado ficou dividido: 32% são mais positivos, 30% negativos e os que estão no meio termo somam 38%. O grupo também não enxerga melhora a curto prazo. Para 49%, a conjuntura do setor estará igual a agora e 48% creem que vai piorar.

De forma geral, os entrevistados demonstraram pouca confiança no País (62%), contra 37% que se diz confiante e apenas 1% que se diz muito confiante. A pesquisa foi realizada com 400 empresários e líderes de todo o Brasil durante os dias 31 de julho e 09 de agosto, por meio de questionário online de autopreenchimento.

 

Confira os dados no infográfico clicando aqui.

 

IDEIA Big Data conquista Napolitan Victory Awards 2017

A conquista do Victory representa o quinto reconhecimento do mercado ao IDEIA Big Data só esse ano

 

“Big Social Data: Uma poderosa combinação para campanhas ganhadoras” é o nome do projeto que rendeu ao IDEIA Big Data a conquista do Napolitan Victory Awards 2017, promovido pela Academia de Artes e Ciências Políticas de Washington para reconhecer o melhor na indústria de consultoria política em todo o mundo. O Napolitan Victory Awards é o único prêmio cujo convite é estendido para mais de 21 países.

O IDEIA Big Data foi agraciado com a premiação na categoria “Inovação Política do Ano” pela integração do poder das redes sociais com o big data em uma difícil campanha no interior do Brasil. “Nós criamos um modelo tecnológico inovador, que por meio da aplicação de algoritmos matemáticos, nos permitiu extrair informações comportamentais das redes sociais. Esses dados foram cruzados com o nosso big data. Dessa forma, criamos mensagens bastante precisas para cada perfil de público”, explica o presidente do IDEIA, Maurício Moura.

A premiação, anunciada no dia 30 de agosto, em cerimônia realizada em Washington, representa o quinto reconhecimento do mercado ao IDEIA Big Data só esse ano, visto que a empresa também ganhou ouro e prata no Goldies Awards 2017, prata no Polaris Awards e foi finalista no Reed Awards.

Esta é a segunda vez que o IDEIA conquista o Victory Awards na mesma categoria. A primeira vitória, em 2015, foi devido ao pioneirismo no uso de Whatsapp em campanhas eleitorais.

Filipe Siqueira conquista etapa regional do INOVA Talentos

Funcionário do IDEIA Big Data, Filipe Siqueira, conquistou a etapa regional da premiação INOVA Talentos, programa idealizado pela Confederação Nacional das Indústrias – CNI para facilitar o acesso de estudantes ao mercado da inovação. “Trabalhar no IDEIA me fortaleceu muito como profissional, abriu horizontes jamais pensados. Desenvolver produtos relacionados à inovação é muito gratificante e desafiador. Dedico essa premiação a toda a equipe por todo apoio, tanto como profissional, como pessoal. O prêmio é de todos nós”, comemora o desenvolvedor do IDEIA, Filipe Siqueira. O anúncio foi feito ontem, em cerimônia realizada no auditório da Federação das Indústrias do Distrito Federal – Fibra, em Brasília.

De acordo com o diretor de Tecnologia do IDEIA Big Data e tutor do bolsista, Thiago da Mata, o Filipe se tornou uma peça chave dentro da empresa. “O Filipe contribui na parte de desenvolvimento, pesquisa e inovação de novas funcionalidades, de novos métodos e de performance e hoje é essencial para o nosso time. Ele se integrou muito bem à equipe e mantém um ritmo de aprendizado alto. Fomos surpreendidos pela ascensão rápida dele. Ele mereceu esse prêmio por ter conseguido superar e muito os desafios impostos de trabalhar com big data e tecnologia de ponta”, afirma.

O Filipe Siqueira conquistou o prêmio Inova Talentos na categoria Trabalho em Equipe e agora segue para disputar a etapa nacional, cujo resultado será divulgado no final de outubro.

Realizado pelo IEL, em parceria com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), o INOVA Talentos estimula a indústria brasileira a manter-se competitiva, por meio do desenvolvimento de projetos de inovação e tecnologia. Para saber mais, acesse o site do IEL.

IDEIA Big Data seleciona cientista de dados para várias capitais do Brasil

As vagas são para as cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Belo Horizonte, Porto Alegre, Curitiba, Florianópolis, Recife, Salvador, Cuiabá e Goiânia

 

O IDEIA Big Data está recrutando 11 cientistas de dados para atuar nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Belo Horizonte, Porto Alegre, Curitiba, Florianópolis, Recife, Salvador, Cuiabá e Goiânia.

Entre as atividades do profissional, estão realização de data cleaning em ferramentas e linguagens de programação Python ou R, análise exploratória, descritiva, preditiva e prescritiva, utilizar Machine Learning e Big Data para ciar novos produtos e visões, criação de visualizações com story telling para apresentar insights, criar modelos estatísticos aplicando inteligência sobre os dados e detectar fraude e anomalias nas operações.

Para participar, o candidato deve encaminhar o currículo para: [email protected], com a função e a cidade para qual quer concorrer no assunto do e-mail. As inscrições vão até o dia 15 de setembro.

IDEIA Big Data abre 33 vagas para profissionais de comunicação em 11 capitais do Brasil

As vagas são para as cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Belo Horizonte, Porto Alegre, Curitiba, Florianópolis, Recife, Salvador, Cuiabá e Goiânia

O IDEIA Big Data está recrutando profissionais da área de comunicação para as vagas de analista de Monitoramento, de Social Media e coordenador de projetos. As oportunidades são para as cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Belo Horizonte, Porto Alegre, Curitiba, Florianópolis, Recife, Salvador, Cuiabá e Goiânia. Para participar, o candidato deve encaminhar o currículo para: [email protected], com a função e a cidade para qual quer concorrer no assunto do e-mail. A data para inscrição encerra no dia 31 de agosto e o processo seletivo ocorrerá em setembro. Confira abaixo as atividades e exigências de cada vaga:

Analista de Monitoramento

Atividades:

  • Gerenciamento de apps, softwares, plataformas e ferramentas de análise de dados e ambiente digital;
  • Conhecimento de ferramentas de publicação;
  • Monitoramento de redes;
  • Análise de dados, cenário, perfis;
  • Benchmark;
  • BI;
  • Web Analytics.

Requisitos Mínimos:

  • Cursando Comunicação, Jornalismo, Publicidade, TI, Ciência da Informação/Programação, Estatística;
  • Experiência de dois anos na função;
  • Conhecimento de produção de ferramentas de publicação, apps e softwares de monitoramento, análise de dados, criação de relatório, benchmarking, e disponibilidade para aprender;
  • Conhecimento de Facebook Business, Google Analytics e ferramentas de Web Analytics;
  • Confiável, bem informado, conciso e rápido;
  • Conhecimento avançado de inglês.

 

Analista de Mídias Sociais 

Atividades:

  • Relacionamento digital em múltiplas plataformas;
  • Produção de conteúdo para redes sociais;
  • Análise de conteúdo e dados;
  • Atendimento inbox em múltiplas plataformas;
  • Conhecimento de análise de dados de ferramentas.

Requisitos Mínimos:

  • Escolaridade – Cursando Comunicação, Jornalismo, RP, Publicidade ou Programação;
  • Experiência de um ano na função;
  • Boa redação;
  • Conhecimento de produção de conteúdo para web, relacionamento em ambiente digital, monitoramento e criação de relatório, benchmarking, análise de dados de ferramentas (FB, Twt, YB, Instagram e Linkedin) e disponibilidade para aprender;
  • Conhecimento de Facebook Business e Google Analytics;
  • Comunicativo, Ágil e Adaptável;
  • Língua conhecimento intermediário de inglês.

 

Coordenador de Projetos 

Atividades:

  • Gerenciamento de pessoas, cargos, entregas e demandas;
  • Conhecimento de apps, softwares, plataformas e ferramentas de análise de dados e ambiente digital;
  • Conhecimento de ferramentas de publicação;
  • Storytelling;
  • Monitoramento de redes;
  • Organização de dados e informações;
  • Gestão financeira.

Requisitos Mínimos:

  • Ensino superior completo em Administração, RP, Estatística, Comunicação, Jornalismo, Publicidade ou Programação;
  • Experiência mínima de sete anos em função de gestão;
  • Ter participado de projetos voltados para produção de conteúdo para web, relacionamento em ambiente digital, monitoramento e criação de relatório, benchmarking, análise de dados de ferramentas (FB, Twt, YB, Instagram e Linkedin),  e criação de conteúdo;
  • Conhecimento de Facebook Business, Google Analytics, Google Drive e ferramentas de gerenciamento de conteúdo;
  • Disponível, confiável, discreto e adaptável.

Pesquisa do IDEIA que aponta desejo por mudanças na esfera política foi pauta na Globo News

A pesquisa que realizamos para o movimento Agora!, que apontou o desejo dos brasileiros por mudanças nas próximas eleições, ganhou grande repercussão na mídia brasileira. No último dia 04 de agosto, foi a vez do programa Estúdio i, da Globo News, trazer o estudo para debate. Uma das coordenadoras do Movimento AgoraIlona Szabó de Carvalho, comentou a pesquisa. Clique na imagem abaixo e assista ao vídeo!

 

Pesquisa inédita expõe desgaste da polarização, descrença nos políticos e amplo desejo de mudança para as eleições de 2018

A pedido do movimento Agora!, o IDEIA Big Data entrevistou 10.063 pessoas de todos as cinco regiões do Brasil, durante os dias 11 e 25 de julho

 

A política tradicional, os partidos e atuais políticos estão em forte queda no imaginário dos eleitores. Isso é o que demonstra a pesquisa realizada pelo IDEIA Big Data, a pedido do Agora!, entre os dias 11 e 25 de julho, com aproximadamente 10 mil pessoas de todo o País. “A pesquisa veio confirmar o sentimento do movimento Agora!. O momento é dos cidadãos comuns indignados assumirem o protagonismo da construção de um país melhor e mais justo”, explica uma das coordenadoras do movimento Agora!, Ilona Szabó.

Na pesquisa, realizada via telefone, a maioria esmagadora das pessoas deseja ver caras novas nas eleições de 2018. Segundo a pesquisa, 79% concordam com a afirmação “gostaria muito de ver os cidadãos comuns (de fora da política), como professores, empreendedores, funcionários públicos concursados, trabalhadores da indústria, profissionais liberais, entre outros, candidatos em 2018”. E os partidos, por sua vez, continuam num processo de desgaste de credibilidade: 77% dos entrevistados destacam que votam na pessoa e não se importam com o partido político – na região Nordeste, esse percentual chega a 90%. Também nessa linha, 72% responderam que não se importam se uma política pública é de direita ou esquerda, desde que torne sua vida melhor. “O estudo mostra a irrelevância dessa polarização na cabeça das pessoas. Os brasileiros querem lideranças menos ideológicas e mais pragmáticas. A maioria está sedenta por soluções concretas, independente de partido e das brigas pelo poder em Brasília”, destaca Leandro Machado, outro coordenador do Agora!.

Os respondentes também acreditam que movimentos de fora da política (de cidadãos comuns) entendem bem melhor os seus problemas (81%). “Fica evidente a desconexão entre os políticos atuais e os problemas reais das pessoas”, reforça Ilona. Leandro Machado completa: “A política precisa voltar a servir melhor as pessoas e isso é urgente.”

E parece que os eleitores já se preparam para mostrar seu descontentamento na prática. Para 48% dos entrevistados, a eleição de 2018 é certamente a grande oportunidade que o Brasil tem para renovar a política – enquanto 38% discordam. A maioria (57%) defende que pessoas envolvidas na Lava-Jato, mesmo que não tenham sido condenadas, não merecem seu voto. Já 52% defendem que “somente quem nunca foi candidato (a) a nada pode realmente trazer a renovação necessária”. A região Sul é a que mais acredita nesta afirmação (60%), seguida pelo Sudeste (55%), e o Centro-Oeste (52%). No Nordeste, esse percentual cai para 44% e, no Norte, 45%. Quanto ao partido, 59% gostariam que o próximo presidente não pertencesse ao PMDB, PSDB e nem PT. “O ciclo desses três grandes partidos no Palácio do Planalto está fortemente ameaçado em 2018. O eleitor brasileiro está aberto a outras alternativas. Resta saber quem poderá ocupar esse espaço”, conclui o presidente do IDEIA Big Data, Mauricio Moura.

O IDEIA Big Data ouviu 10.063 pessoas de 37 municípios brasileiros, envolvendo todos os estados do País. A margem de erro estimada é de aproximadamente 1.75%.

CEO do IDEIA realiza curso sobre Campanhas Eleitorais

O presidente, Maurício Moura, e o vice-presidente de Digital do IDEIA Big Data, Moriael Paiva, realizam curso sobre Campanhas Eleitorais na sede da RAPS, em São Paulo. O treinamento será dividido em dois módulos, com a primeira etapa nos dias 19 e 20 de agosto e o segundo momento nos das 11 e 12 de novembro.

Organizado pela RAPS, o curso visa garantir aos candidatos o desenvolvimento das habilidades necessárias a uma campanha bem-sucedida, contemplando planejamento da campanha eleitoral, formulação da equipe, instrumentos de media training, estratégias de comunicação na campanha eleitoral, captação de recursos segundo a legislação eleitoral, instrumentos de mobilização do eleitorado e de engajamento em campanhas digitais.

 

Para fazer sua inscrição ou saber mais sobre o curso, clique aqui!