IDEIA Big Data aposta na ciência da psicometria para entender o eleitor em 2018

Instituto fecha parceria com autoridades acadêmicas com mais de 10 testes psicométricos validados pelo Conselho Federal de Psicologia

 

Entender o comportamento dos cidadãos, identificar os perfis mais propensos a apoiarem a sua causa e saber onde essas pessoas estão pode parecer uma façanha só alcançada no mundo da fantasia, mas é um feito já realizado com êxito fora do Brasil e que chega com muita força para as eleições brasileiras de 2018 pelas mãos do IDEIA Big Data. O Instituto acaba de fechar uma parceria inédita com a empresa P&T Psychodata, cujo conhecimento técnico e científico é responsável pela validação de mais de 10 testes psicométricos pelo Conselho Federal de Psicologia, e que tem entre seus líderes, dois professores com PhD. em Psicologia, Luiz Pasquali e Bartholomeu Tôrres Tróccoli.

De forma generalizada, podemos dizer que a psicometria é a ciência que se dedica ao desenvolvimento e aplicação dos conhecimentos estatísticos e de outros processos matemáticos à psicologia, e é bastante estudada no meio acadêmico, mas ainda não tão bem aproveitada no mercado brasileiro. “As técnicas de psicometria ajudam a identificar novas variáveis e tendências de comportamento que podem ajudar tanto nas estratégias de consumo, como eleitorais, com grande potencial de aplicações”, explica o sócio da P&T Psychodata, Luiz Pasquali.

De acordo com pesquisas realizadas em diversos países, como Austrália, Estados Unidos, Israel e Iraque, traços de personalidade podem influenciar o voto em até 16%, cinco vezes mais do que características como sexo ou idade, com capacidade em torno de 3%. “Informações sociais e econômicas são bastante utilizadas no mercado, mas perdem força se usadas isoladamente. Ao se acrescentar fatores psicométricos nessa teia de informações, aumentamos consideravelmente a capacidade de prever votos. São informações mensuráveis e cientificamente válidas”, destaca o também sócio da P&T Psychodata, Bartholomeu Tróccoli.

Inicialmente, um dos modelos adotados pela P&T Psychodata na parceria com o IDEIA é o Big Five, que analisa traços da personalidade utilizando cinco características principais que podem influenciar o comprometimento/engajamento das pessoas. Com a junção dos modelos da P&T Psychodata com o Big Data do IDEIA, será possível identificar as correlações entre características de personalidade e comportamento do eleitor com informações socioeconômicas e demográficas, revelando onde estão os cidadãos com quem se quer falar e indicando qual o tom do discurso com cada grupo. “Vamos trazer ainda mais ciência para as nossas entregas”, enfatiza o vice-presidente de Digital do IDEIA Big Data, Moriael Paiva.

A análise comportamental para campanhas políticas ganha ainda mais força quando associada ao intenso uso das redes sociais no Brasil e ao fato de que, pela primeira vez, políticos e partidos poderão colocar dinheiro para melhorar seu desempenho para atrair a atenção desses eleitores. “Conhecendo os traços de personalidade, podemos adaptar a estratégia de persuasão para cada perfil. É uma grande oportunidade para fazer uma comunicação direta com as pessoas com maior probabilidade de simpatizar com a sua campanha, gastando menos do que se gastava em disputas anteriores, e com um percentual de assertividade muito superior”, conclui Moriael.