IDEIA Big Data traz para o Brasil modelo vitorioso da campanha de Emmanuel Macron

De olho na eleição brasileira, Instituto une operações com a francesa Liegey Muller Pons (LMP), responsável pela estratégia política do atual presidente da França

 

O IDEIA Big Data e a LMP (Liegey Muller Pons), da França, anunciam a união das operações no Brasil com a ambição de transformar as campanhas eleitorais brasileiras de 2018 com uma combinação entre uso tecnologia de Big Data, contato direto para otimizar recursos de campanha e mobilização.

A LMP foi responsável por toda a tecnologia utilizada com êxito pelo Movimento En Marché, que elegeu o presidente francês Emmanuel Macron. “Acreditamos fortemente que vamos oferecer juntamente com o IDEIA Big Data técnicas de mobilização diferenciadas. O Brasil tem enorme potencial para produzir uma onda como En Marche e temos toda a condição de apoiar tecnologicamente os movimentos que queiram crescer e ocupar espaço relevante entre os cidadãos comuns indignados com a política”, destaca o CEO da LMP e um dos principais estrategistas de Macron, Guillaume Liegey.

No Brasil, a parceria vai oferecer aos clientes análise precisa sobre os grupos de eleitores a serem abordados, aprofundamento das suas características/necessidades e a utilização de ferramentas de comunicação direta. O resultado será campanhas mais eficientes. “Temos plena convicção que o modelo Macron de uso de Big Data e mobilização baseado em inteligência, moderação no discurso e argumentos corretos endereçados a grupos específicos, tem muito mais tração no Brasil do que o modelo Trump, que abusou do uso de Fake News e de argumentos raivosos para vencer. O brasileiro busca o diálogo e não o embate. Queremos potencializar esse diálogo com tecnologia e inteligência”, conclui o vice-presidente de Digital do IDEIA Big Data, Moriael Paiva.

Ambas empresas têm vasta experiência internacional em mais de mil campanhas atendidas na Europa, no caso da LMP, e nas Américas, no caso do IDEIA Big Data, em especial Brasil, Argentina, EUA, México, Bolívia, Colômbia e Venezuela. No hall de cases do IDEIA, destaque para o Referendo Constitucional na Bolívia (do lado da oposição a Evo Morales).